Páginas

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Slow life...Parém o mundo, eu quero viver!

Hoje eu sinto, depois de anos correndo desenfreadamente que quanto mais rápido o tempo parece passar menos eu quero correr.

Não me leve a mal! Não é preguiça. Hoje eu sou muito ocupada, às vezes super ocupada, mas a maternidade e a vida de esposa, cozinheira principal da casa, administradora do nosso espaço e vida comum e trabalhadora corporativa por meio periodo me modificaram e ensinaram que a maternidade tem seu proprio relógio.


Deixe-me dar um exemplo do dia em que escrevi em meu diário sobre isto. Era um domingo, e eu vivi o dia comum na vida de qualquer mãe: o dia do imprevisto!!! Acordei depois de passar uma noite com meu pequeno doente. Meu plano era:banho rápido, arrumar o rapazinho, escola dominical com a familia, almoçar, etc. A vida real: filho doente, noite em claro e meu marido dizendo que alguém deixou um filhote de coelho para nosso pequeno e que este estava no banheiro social comendo o alface do almoço...Pai do Céu, reforço pra mim, por favor!!! Que jeito mais maluco de começar o dia.

Então, lá vou eu entrar no relógio da maternidade. Aquele relógio em que corremos, mas não ditamos o ritmo das coisas. Em vez de lavar os pratos do café da manhã, deixa-los por 20 minutos na pia pra brincar de carrinho e dar cenoura ao coelho com meu filho pequeno que a essa altura já descobriu o bicho. Em vez de E.B.D, dar xarope e colinho ao pequeno gripado que insiste em repetir: mamãe, senta aqui! Este é o relógio da maternidade. Em que o urgente fica pra depois, pois dá lugar ao importante. 




Você, meu caro leitor, pode até desvalorizar minha rotina de domingo, achar improdutivo...mas pra mim ela produz sentido de saber que o urgente não é tão urgente quando há algo que é importante. Não quero deixar o ritmo desenfreado deste mundo maluco que escraviza as mulheres dominar minha vida. Não quero deixar minha caixa de entrada de e-mails, os convites profissionais ou as demandas superfluas criarem uma rotina de urgências em que eu perca de vista o que é realmente importante. Hoje vou viver e planejar, mas também vou parar o planejado, simplesmente porque dormindo no quarto ao lado e sentado em minha sala estão o que realmente importa: as pessoas que escolhi amar!!!

Pra mim amar é compromisso. Quer saber o que realmente importa em sua vida? Contabilize o tempo que você gasta em cada coisa... lá está o seu tesouro, o seu tempo e o seu coração! Pensar nisso me faz estremecer e refletir sobre o que realmente importa... 

3 comentários:

  1. Querida Ana, muito bom! Parabéns!

    Cirlene

    ResponderExcluir
  2. Querida Ana, muito bom! Parabéns!

    Cirlene

    ResponderExcluir
  3. Oi Cici!! Saudades suas...continue voltando por aqui!!!

    ResponderExcluir