Páginas

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Como lidar com crianças temperamentais segundo James Dobson

Olá queridos,

Que todos estejam em paz, apesar das batalhas diárias que todos nós preocupados em dar o melhor  para nossas famílias enfrentamos.

Volto rapidinho pra compartilhar um trecho de uma leitura feita entre fraldas, pista de corrida e carrinhos (lembram?são dois agora!), além de tosses e resfriados coletivos. Tenham paciência comigo! Aqui em casa estamos conhecendo Beatriz e nos dando a conhecer. Portanto, está se desenrolando um processo de conhecimento mutuo e adaptação de nós a ela e dela a nós. Isso inclui a necessidade de achar um novo cronograma diário onde se encaixem as coisas antes feitas por nós.  Bom, vamos ao tema proposto: As dicas do Dr. Dobson.

James Dobson tem uma obra em que trata sobre os desafios de lidar com crianças temperamentais ou geniosas. Em Português, esta obra recebe o título Educando Crianças Geniosas. Nela, ele aborda diversos assuntos, mas há uma lista interessante de dicas para pais de crianças sobre como lidar com os filhos. Este livro e Ouse disciplinar são colunas vitais nas obras do autor sobre a forma como lidar com a rebeldia infantil.

 Aqui vão as dicas, com alguns comentários meus, meras opiniões, passiveis de serem descartados por vocês. Lembrem que falo dos meus aprendizados e não de um lugar de especialista!


1. Comece a ensinar o respeito pela autoridade enquanto são pequenos

Eu penso que esta hoje é uma questão séria. Hoje vejo uma terrível confusão entre relações de poder e relações de autoridade. Isto é embalado pelo combo opressor/oprimido tão corriqueiro nos argumentos atuais. Relações de autoridade não são relações de dominação, pelo ato de simplesmente dominar. Relações de autoridade são relações de cuidado. Parte-se do pressuposto de que alguém tem condições de exercer um papel protetivo para com o outro e por isso deve ser atendido e honrado. Estar sobre autoridade protege nossos filhos dos perigos da vida e de si mesmo e dos impulsos que podem ser destrutivos. A autoridade não é opressora, ela é protetiva!Ela não se confunde  com rispidez, indelicadeza e ira, ela é fruto da firmeza no objetivo de ajudar alguém a se desenvolver integralmente. Estar num papel de autoridade frente ao outro, mesmo a menor criança, e exercer este papel da forma certa é uma tarefa árdua e difícil, mas necessária.


2. Defina os limites antes de impô-los
Antes de qualquer forma de disciplina, afirma Dobson ao longo de sua vasta bibliografia, é necessário estabelecer regras, expectativas e limites. Deve haver consistência e clareza. Ninguém pode ser imputado de um erro que não sabia ser erro!


3. Distingua rebeldia obstinada de trela inconsequente infantil:
Muitos atos podem ser frustrantes para nós pais, mas neles não há dolo. Derrubar coisas, sujar algo por pura falta de habilidade pode ser frustrante pra quem limpa a sujeira, mas não pode ser comparado a um ato de rebeldia gratuita e obstinada, ou ao gesto de insistir em fazer algo sobre o qual já se admoestou.


4. Confronte, se necessário corrija, mas esteja disposto a tranquilizar e ensinar.

Vamos tomar o exemplo de Deus. Ele nos confronta, nos faz encarar as consequencias de nossas escolhas, mas abre os braços de amor e nos ensina depois de nos quebrantar. Uma das coisas que acho mais desafiadora na maternidade é a necessidade de sempre lembrar que a correção é sobre nossos filhos e não sobre nós. Essa consciência nos faz visarmos o caráter dos pequeninos, em vez de agirmos de acordo com a frustração que sentimos.  Lembro também do conselho de Suzana Wesley de não punir a falta confessada e de ignorar certos atos infantis.


5- Evite exigências impossíveis e incompatíveis com o desenvolvimento de seu filho.


6. Deixe que o amor seja seu guia! Não se guie por seus sentimentos!
Muitas vezes o que mais nos irrita num filho genioso é o que faz eco com a parte imperfeita de nós mesmos!


Nota da blogueira: Tenho aprendido que crianças geniosas precisam de limite e firmeza, mas precisam ser ensinadas a lidarem com os proprios sentimentos. Muitas vezes eles tem dificuldade de controlar as próprias emoções, especialmente a raiva e a frustração. um pequeno berrando pode aprender que seu sentimento é legitimo, mas não lhe dá o direito de bater nos outros, dar chilique, etc.  
Proponha a seu filho acalmar-se, deixando claro que tipo de reações não serão admitidas. Uma certa mãe, por exemplo, tenta diminuir a frustração de seu filho perguntando se ele quer um tempo pra se acalmar. Quando ele era menor tinham até o cantinho de se acalmar. Era uma chance de se recompor em vez de se portar mal. Hoje, se ele quer muito algo e começa a choradeira ou se vê birra no horizonte, explica a razão e pergunta se quer ajuda pra se acalmar.  Firmeza e paciência combinada meninos e meninas! Assim como o Pai celestial exerce estas caracteristicas conosco.

Bom, Beatriz me convoca a encerrar nossa conversa de hoje! Paz a todos! Até uma próxima oportunidade! Pequena com fome aos berros...


7 comentários:

  1. Triste vivendo isso e perdida com uma filha muito geniosa com três anos e eu exausta

    ResponderExcluir
  2. Querida! Toda criança tem defeitos e virtudes no seu temperamento. Até não vermos a beleza que nossos filhos têm, não poderemos tratar aquilo que neles é difícil. Geralmente, aquilo que é mais difícil em nossos filhos é uma chance, também, de Deus trabalhar em nós. Não desista!!!Peça sabedoria e graça a Deus e procure aprender mais sobre sua filha. Se precisar de um ombro amigo, mande um e-mail para o blog ou uma mensagem no facebook. Estamos juntas na luta!!!

    ResponderExcluir
  3. Meu filho quando era pequeno era muito gentil educado e agora com 10 anos me responde por qualquer motivo as vezes chego a pensar q ele esta a discutir com uma irmã e nao com sua mãe. Crio ele sozinha sou separada desde de quando ele tinha 5 meses ele vai p cs do pai a cd 15 dias nunca tive reclamações dele da parte de la oq acontece é so em cs comigo com a vó dele q mora junto e sempre quando estou por perto quando estou longe trata sua vo super bem . O pior de tudo é q nao sei oq esta acontecendo com ele p ter mudado tanto assim nao sei se é da idade se é so uma face ou se sou eu q estou fazendo algo errado as vezes fico depressiva sem saber q tipo de atitude devo seguir ja ate pensei em um psicólogo p ele p poder entender oq acontece . Ele odeia cortar o cabelo chora muito diz q é feio q vai ficar mais feio ainda isso tudo pq um.dia cortou o cabelo e quando foi p escola as crianças correram atras dele.p tirar seu capuz da cabeça p ver seu cabelo e acabou quebrando o cotovelo chegou a colocar pinos fizemos 6 meses de fisioterapia e acupuntura .se alguém tiver uma solução ou uma indicação do que devo fazer agradeço . Obrigada

    ResponderExcluir
  4. Meu filho quando era pequeno era muito gentil educado e agora com 10 anos me responde por qualquer motivo as vezes chego a pensar q ele esta a discutir com uma irmã e nao com sua mãe. Crio ele sozinha sou separada desde de quando ele tinha 5 meses ele vai p cs do pai a cd 15 dias nunca tive reclamações dele da parte de la oq acontece é so em cs comigo com a vó dele q mora junto e sempre quando estou por perto quando estou longe trata sua vo super bem . O pior de tudo é q nao sei oq esta acontecendo com ele p ter mudado tanto assim nao sei se é da idade se é so uma face ou se sou eu q estou fazendo algo errado as vezes fico depressiva sem saber q tipo de atitude devo seguir ja ate pensei em um psicólogo p ele p poder entender oq acontece . Ele odeia cortar o cabelo chora muito diz q é feio q vai ficar mais feio ainda isso tudo pq um.dia cortou o cabelo e quando foi p escola as crianças correram atras dele.p tirar seu capuz da cabeça p ver seu cabelo e acabou quebrando o cotovelo chegou a colocar pinos fizemos 6 meses de fisioterapia e acupuntura .se alguém tiver uma solução ou uma indicação do que devo fazer agradeço . Obrigada

    ResponderExcluir
  5. Eu agora sei o quanto é exaustivo ter um filho genioso.Sou mãe de 3 belas meninas,e minha caçula uma bebê de 2 anos e dois meses,tem me ensinado a repensar a maternidade.Tenho procurado inspiração do Pai Celestial, para ensiná la a obedecer e respeitar o espaço do próximo.Impor limite é outro desafio,por trás do gênio forte,Existe uma criança sensível e doce.Parece uma contradição inconciliável.

    ResponderExcluir
  6. Agora EU sei o quanto é exaustivo ter um filho genioso.Tenho três belas filhas,porém minha caçula de 2 anos e dois meses é geniosa.Tenho apreendido a pedir sabedoria para o Pai Celestial me ajudar a entendê LA,ensiná LA e impor is limites e as consequências que cabem a ela.Parece uma situação irreconciliável,tão docil e tão geniosa.

    ResponderExcluir
  7. Eu agora sei o quanto é exaustivo ter um filho genioso.Sou mãe de 3 belas meninas,e minha caçula uma bebê de 2 anos e dois meses,tem me ensinado a repensar a maternidade.Tenho procurado inspiração do Pai Celestial, para ensiná la a obedecer e respeitar o espaço do próximo.Impor limite é outro desafio,por trás do gênio forte,Existe uma criança sensível e doce.Parece uma contradição inconciliável.

    ResponderExcluir