Páginas

quinta-feira, 20 de março de 2014

Não, eu não voltaria atrás!!!

Olá queridas!

Estou de volta. Como prometido, retornei. Ontem ganhei de um parente um exemplar de uma  revista semanal bastante conhecida que chegou a ele duplicada e a editora não quis recolher. Nela havia uma vasta reportagem sobre redes sociais. Eles anunciavam a preferência de algumas pessoas por redes sociais mais adequadas ou atrativas para os interesses e perfis de cada um. Parece que surgiram pareôs para o  facebook.  


Uma das redes citadas na reportagem permite que as pessoas postem e mantenham o anonimato, uma especie de catarse coletiva sem julgamento daqueles que fazem suas confissões.Nela cabem de fofocas a coisas mais fáceis de dizer no anonimato.  A reportagem trazia como exemplo confissões pessoais; uma delas era de uma mãe ou pai, creio, e dizia basicamente o seguinte: eu amo muito meu filho, mas se pudesse voltar no tempo, não seria pai (ou mãe)!



Não vou entrar no mérito de avaliar quem escreveu  tais palavras. Não sei o estado, problema ou razão que leva o autor de tal frase a escreve-la, não estou tampouco justificando ou eximindo de nada quem a escreveu. No entanto, uma coisa eu sei:Ser mãe não é coisa fácil! Um dia desses li uma frase em um dos blogs sobre maternidade que gosto e que já citei por aqui, em que a autora dizia que ser mãe de fato e verdade não é para   maricas (rs)! Exige coragem! Tem gente que trata quem se dedica a maternidade como fraca, mas as boas mães que conheço, especialmente aquelas que com louvor criaram os filhos, são verdadeiras leoas fortes e corajosas, a começar pela minha mãe. Isso não é pra qualquer um não! Portanto, antes de rotular uma mãe, meça suas palavras.

Nem tudo na maternidade se resume a um sorriso belo ou a um filho dizendo que nos ama. Muita gente minimiza o que a maternidade requer. O menor dos problemas de uma mãe atenta é acordar à noite e limpar um bumbum sujo! Há momentos bons que nos enchem de alegria, mas há também as horas difíceis em que nosso mundo parece que vai ruir…de vez em quando eu passo por eles, e são desafiadores em toda sua medida.  Não somos perfeitas, não temos soluções rápidas. A maternidade requer alma, coragem, força e uma medida imensa de espirito altruísta que eu todo dia rogo a Deus que me dê uma parte extra.


Dito isso, eu direi o que me levou a escrever. Embora saiba que não há só alegrias na maternidade,
embora eu saiba o quanto de renuncias ela me pede, nem por um segundo eu quero olhar atrás ou desejar que os dias passem e torcer pelo que está à frente! Vejo muita gente ao meu redor transitando por esse caminho e dele eu quero me esquivar, pois ele só resulta em descontentamento com a vida. Alguns alimentam a melancolia que é fruto de quem não deixou para trás o que para trás fica:…saudades do tempo de solteira…do tempo em que eramos só um casal, etc. Estes alimentam o sentimento melancólico que leva muitos a um estado deprimente vivenciado por quem vive preso a um passado muitas vezes hiperbolizado e supervalorizado. Cada fase da vida tem suas dificuldades e seus momentos belos.  É preciso alcançar sabedoria para aproveitar os bons momentos e seguir em frente. Como mães, se deixarmos que nossos olhos fiquem fitos no passado, vamos olhar apenas as dificuldades do presente e deixar passar a beleza da maternidade. Além  do mais, nos momentos de dificuldade nossa tendencia é achar no passado mais beleza do que de fato há. Salomão nos dá um bom conselho, que não me sai fácil da cabeça, sempre penso nele:  Nunca pergunte: por que  será que antigamente tudo era melhor? Essa pergunta não é inteligente. Eclesiastes 7.11.  Não, não é sábio pensar assim! 


Não faz bem ficar preso ao passado. É bom lembrar das fases anteriores, ter uma atitude de gratidão pelo bem que nos ocorreu, aprender dos erros do passado, mas olhar para o passado com saudades e tristeza pelo presente nos tira a chance de viver o momento. Talvez, você minha colega de barco esteja naqueles dias de um bebê novinho e tudo parece um caos ao seu redor. Você talvez descobriu
 que existem fraldas sujas, que a casa que você acordou cedo pra arrumar virou um caos sem controle que você vai arrumar umas quinhentas vezes. Talvez você seja daquelas que fala que deveria ter tido um filho só! Por que você foi inventar de começar tudo de novo? Mas não olhe para trás! Provavelmente, entre o monte de coisas a fazer há um sorriso desdentado que pode lhe trazer a alegria que precisa! Há um desenho colorido feito pra você. Talvez, como meu Benjamin, seu filho
 traga de um passeio um pacote amassado com dois dedos de pipoca e diga:
- Mamãe, eu guardei pra você!




Você, provavelmente, esta presa ao tipo de alegria que o passado lhe trouxe e está esquecendo os pequenos presentes do cotidiano. Quer um conselho? Lave os pratos mais tarde, sente no chão e brinque de cosquinhas com seu pequeno. Olhe direitinho pra o sorriso desdentado de seu bebê. Em vez de chorar pela cintura 38 que virou 40, mesmo depois da dieta, veja os outros atrativos que você desenvolveu e vista seu novo corpo, em vez de lutar pra caber em roupas apertadas do passado, ou voltar ao corpão de supermodelos que passam o dia malhando, comendo alface e consumindo o ingrediente milagroso da vez. Não estou dizendo que não lute contra os pneuzinhos extra, mas que abrace as mudanças que a vida impõe, especialmente, quando não são reversíveis! O passado não volta, graças a Deus! Andamos para a frente e não pra trás. Em vez de chorar pelo que sua vida foi, transforme o que ela é hoje com a força daquele que a criou e que domina sobre tudo. Se Deus lhe deu a família que tem, querida,  lhe dará a graça para cuidar dela, mesmo quando lhe parece impossível.




Tenho pena da mãe ou pai que escreveu aquela confissão, pois eu encontrei correria, desafio e às vezes lagrimas na maternidade, mas ela me traz muitas alegrias, também.Se eu conhecesse a pessoa, lhe diria que educar e cuidar dos filhos não é fácil, mas se você prestar atenção nas pequenas e grandes alegrias, elas compensam. Se ela ou ele acabou de ter o filho, eu lhe diria: tire um cochilo! Ás vezes isso resolve!  Por incrível que pareça há momentos que um soninho entre os pequenos muda a perspetiva do dia. 


Um abraço! Até um próximo dia que a correria permitir! Sei que vocês entendem quando dou uma sumida, afinal somos mamães ocupadas.

Imagens: Fotos de família tiradas por nosso amigo Pedro Henrique.

8 comentários:

  1. Muito bom, que as mulheres aprendam que o que trás alegria, são as realizaçoes da vida e quando são feitas para gloria do pai sempre teremos prazer e satisfação em recordá-las.

    ResponderExcluir
  2. Ana Cláudia, Paz do Senhor!
    Parabéns! O Blog está excelente.
    Esse texto, assim como os demais, está muito bom e bastante edificante.
    Embora eu não tenha filhos, tenho acompanhado seu Blog.
    Siga compartilhando aquilo que Deus tem colocado em seu coração.
    Deus continue te abençoando!
    Um abraço.
    Gemima Barros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi querida! Que Deus abençoe você! Uma moça tão exemplar. Um braço!

      Excluir
  3. Que benção! Parabéns! Que Deus continue usando sua vida para escrever coisas tão belas e importantes para todas as mamães!

    ResponderExcluir
  4. Oi querida! Estamos juntas na batalha!

    ResponderExcluir