Páginas

quinta-feira, 21 de maio de 2015

Espelho quebrado

Eu estava com minha pequenina resolvendo algumas pendencias do meu atarefado dia, quando elas entraram e foram ao caixa pagar, assim como eu. Eram uma bela garotinha loira e sua mãe, muito bonita também. Beatriz logo se encarregou de abrir um largo sorriso e a pequena garota respondeu sorrindo também. A menina mostrou Beatriz fazendo graça e tudo que a mãe disse foi:

- Ajeita essa postura! Vai ficar com a barriga saliente!

De repente chegou uma amiga da mãe que se tornou o terceiro personagem de uma das conversa mais bizarras que eu já ouvi na minha vida. A amiga dava risadinhas chamando a mãe de maluca, enquanto esta distribuía impropérios sobre o desleixo da filha com a aparência e o futuro dela: não conseguir um bom namorado no futuro e sofrer bullying na escola.

Tive vontade de chorar! Pra ser franca, tive que conter meu espírito pra não dizer umas verdades para aquela mãe que em cinco minutos destruiu qualquer chance daquela garota pensar algo de bom sobre si como criação de Deus. Só interessava ser popular e ser igual ás outras. Aceitar o corpo como é era papo de garotas feias, segundo aquela mãe.

Isto me lembrou um dia em que entrei no elevador com minha bebê, na época bem mais rochenchuda.  Ela estava no tempo do aleitamento, sem inserção de nenhum outro alimento  em sua dieta. Beatriz deveria ter entre 3 a 4 meses. Uma senhora começou a me alertar sobre o peso de Beatriz. Falei para ela que minha filha estava sendo acompanhada pela pediatra e que seu peso estava dentro do padrão, assim como sua alimentação.  Aquela senhora gentilmente começou a me sugerir diminuir  o leite de Beatriz para  que ela fosse magra no futuro. Não, não era uma questão de saúde. Era uma questão de não sofrer bullying na escola!!! O mesmo argumento, de uma outra boca, numa outra circunstância. 

Um outro dia assisti a um documentário sobre garotas pequenas anoréxicas exibido pelo Discovery Home and Health, canal de TV a cabo. Eram garotinhas pequenas, contando calorias, tratando o alimento como inimigo. Pequenas garotas tratando o corpo como inadequado e com uma imagem corporal distorcida. Eu chorei! Abracei minha menininha com força e recitei a constatação do salmista: eu te louvo porque de um modo maravilhoso fui formado. Maravilhosas são as tuas obras, a minha alma o sabe bem!!! Eu sei! Minha Bibi não entendeu, mas eu queria deixar claro para mim sobre que olhar eu veria minha garota!

Outro dia, ouvi de uma amiga muito querida que as coisas tinham saído errado: Beatriz que é menina nasceu com cabelos cacheados e Benjamim com os cabelos lisos. Ela vai odiar isso, me disse ela. É a ditadura do cabelo liso, do corpo ampulheta para pequenas garotinhas. É o olhar do outro infligindo-lhes o lugar de inadequadas. Que bom que nossa filha tem uma mãe que gosta de seus cachos!
Tenho refletido muito sobre isto. Nós mamães podemos ajudar nossas garotinhas a sobreviverem neste mundo tão hostil e estigmatizante que produz garotinhas que em vez de brincar e sorrir estão usando maquiagem pesada e contando calorias. Pensei em como minha postura como mãe tem poder sobre minha filha.

O que estamos fazendo quanto a isso? Como nossas garotas nos enxergam? O que lhe dizemos? E mais como elas nos percebem ao abordar esta questão. Não há nada de errado em reduzir o consumo de calorias, especialmente aquelas que só nos envenenam e fazem mal. Podemos tentar estar melhor por saúde e pra nos sentirmos melhor. Eu mesmo confesso que tenho orado por mais disciplina em inserir atividades físicas no meu dia. Alguns dias são melhores que outros.Muitas vezes o cansaço e a própria demanda física do meu dia-a-dia tem  sido empecilho. Tenho enfrentado a escada do nono andar ao térreo, feito muita coisa a pé para tentar estar mais saudável e enfrentado exercícios em casa. É uma luta diária contra minha vontade. Mas se desejo o corpo alheio, se xingo minha existência, se trato meus ombros largos como uma praga, há uma garotinha seguindo meus passos. Ela já enfrentará pressão demais lá fora. Obviamente, nossos filhos precisam aprender sobre domínio próprio, os males da gula e sobre a necessidade de estarem bem em seus corpos. No entanto, estar bem a partir de nós mesmos e não assumindo o outro como padrão. Qual é o nosso melhor? Esse deve ser o padrão pra cada um.

Que Deus me ajude! Enquanto eu vivo, uma pequena garotinha me assiste e aprende valores comigo. Aprende  sobre o que é ser mulher. Que valores meus gestos transmitem? O que digo sobre mim mesmo, os outros e ela mesma? Esta é uma grande responsabilidade! Que Deus me ajude!

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Não, eu não quero que passe logo!



Vez por outra, quando alguém me vê atarefada com meus dois pequenos, me diz: não se preocupe, logo passa! Vão crescer.
O engraçado disso tudo é que já tenho saudades de quando eles eram ainda menores!
Eu não quero que o tempo passe, quero transitar devagar por esse caminho de mãe de pequeninos.
Quero ler muitas histórias, falar das coisas, dar muitos beijos e abraços.
Eu não quero que passe logo! Quero curtir cada flor arrancada pra mim, mesmo quando é uma erva daninha, ver aquele sorriso acompanhado de um desenho de crayon e a frase: É pra você mamãe!
Eu não quero que passe logo! Quero montar jogos, brincar de carrinho, dar leite a bonecas e ensinar a contar até 10.
Eu não quero que passe logo! Quero enxugar a lágrima quente, dizer: pode chorar ou oferecer meus braços num abraço de cumplicidade ou mesmo pedir desculpa se injustamente causei as lágrimas.
Eu não quero que passe logo! Porque todo dia antes de dormir minha cabeça não acompanha o corpo e nela há uma lista imensa de coisas que preciso ensinar sobre Deus, a vida, a natureza e o mundo.
Eu não quero que passe logo! Deus é sábio e trabalha em mim e em meus filhos em parceria com o tempo...tempo, tempo, tempo!
Ninguém apressa ou atrasa o tempo! Ele segue sempre seu curso qual um rio perene!
Quero ter sabedoria para amar plenamente meus filhos para que o tempo não passe logo e eu perca tempo e oportunidades que nunca mais voltarão!
 Deixa Deus cuidar do tempo! Ele sabe, Ele é eterno!

segunda-feira, 11 de maio de 2015

sexta-feira, 8 de maio de 2015

Feliz dia, dentre muitos dias felizes!!!!

Minha querida amiga de jornada,

Eu gostaria de fazer uma homenagem a você mamãe que estivesse á altura de sua missão e da sublimidade que está envolvida em ter alguém dado por Deus pra cuidar como se fosse seu e depois devolver àquele que lhe deu e que é de cada um de seus filhos verdadeiro dono. No entanto, o tempo se sobrepos ao meu coração desejoso de tocar através de uma palavra de Deus o seu coração.

Talvez, você não ganhe o desejado presente. Não se entristeça!!! Talvez seus filhos e até mesmo o pai deles não dimensionem o valor que é lhe ter por perto. Não chore por isso.

Alegre-se pelo fato de você ter sido convocada pra gerar vida! Você foi escolhida pra ser aliada de Deus no processo de cultivar o coração de alguém. Sua missão é nobre! É bela. Gosto de pensar na mãe que serve a Deus como um soldado de elite pronta para proteger um pequenino ou um jovem coração precioso e útil para o Rei da Gloria. Como um soldado de elite protege um bem precioso ou uma arma valiosa e o impede de parar nas mãos do inimigo, assim você foi chamada a defender um pequeno coração e fazê-lo chegar integro ao seu rei e Senhor. Entenda a grandeza dessa missão e isso lhe será suficiente para se sentir presenteada por ser mãe. 
Feliz dia, dentre muitos que são os seus dias!!! Você foi chamada para tomar uma mão pequenina numa estrada violenta e sinuosa, cheia de dardos e de ataques do inimigo, e levar esse pequeno ser para entregar ao Rei em segurança. Você é uma fiel guerreira da tropa especial de elite de Deus!
Feliz dia! Boa missão! Deus confiou em você!
Estamos juntas servindo no mesmo batalhão!

Um abraço, 
Ana Cláudia


Papo de Mãe - A Importância dos Pais na Infância dos Filhos


Aqui está o link do quadro Papo de Mãe, transmitido hoje na rádio da Rede Brasil de Comunicação - FM 93,3.
Nesse primeiro quadro, falei sobre a importância dos pais na infância dos filhos.
Meu desejo é que você seja edificado. Bom programa!