Páginas

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Respondendo- Alimentação

Oi queridos meus!

Que a paz do Nosso Senhor encha vosso lar!

Aqui vai um e-mail gracioso de uma leitora:

Oi Ana!
Puxa como eu gosto do seu blog! 
Fui sua aluna na Universidade e é provável que você não lembre de mim. Gostava muito de suas aulas e sempre comentava com as meninas que depois que você terminou o doutorado não tive mais notícias suas, nem sabia se ainda davas aula. Creio que na época que fostes nossa professora ainda não tinhas filho. Vejo que a maternidade e o casamento te tornaram uma mulher ocupada no lar.


Escrevo porque vi você com as crianças e seu marido almoçando num restaurante e vi como eles comiam o que estava servido sem drama. A sua pequena não parava quieta mas comia normalmente e o Benjamin nem se fala.  Vi até uma cena engraçada em que ela encheu seu cabelo de brócolis e  a própria roupa. Você limpou sem drama e já tinha um vestido de reserva na bolsa(rs). Ela deve ser uma pimentinha! Como você faz pra eles comerem bem assim? 
Eu estava algumas mesas atrás de vocês e a minha filha de 5 anos não comeu nada nem come! Ela já diz que não gosta e pronto. Só nuggets, batata frita e macarrão puro. Fecha a boca e não tem acordo. Confesso que eu e o pai também não comemos bem. Acho que eu também demorei  a dar legumes pra ela e não quero cometer o mesmo erro com meu filho que está por nascer. Eu vi que você estava dando arroz com brócolis para sua pequena, pirão e peixe. Como você consegue? passe o segredo! Escreva no blog. Espero que este endereço de e-mail ainda seja o seu.

Amanda

Aqui vai minha resposta:

Querida Amanda,

Você deveria ter ido onde eu estava e me dado um abraço. Sou até boa em lembrar de ex-alunos. Veja, indo direto ao que me pergunta, não há receita de bolo. Outras mães já me perguntaram o mesmo. Não sou nutricionista, mas gosto de ler um pouco sobre a alimentação da minha família pra tentar fazer meu melhor para eles e para mim.

Já passei por momentos difíceis nesse quesito. Houve um período entre os dois a três anos de Benjamin que foi bem complicado. Ele comia sem prazer por conta da adenóide que prejudicava o seu paladar. Pensei que todo o trabalho que desenvolvi com ele em sua alimentação tinha ido água abaixo até que ele melhorou e tudo voltou ao normal. Ainda lutamos com a adenóide, mas não com a alimentação. Aqui em casa tenho algumas regrinhas que talvez lhe sirvam. Inclusive, já falei disso no blog:

1-  Legumes, hortaliças, frutas e ervas são parte da dieta familiar. Não é algo que dou apenas a meus filhos, como se estivessem sendo castigados. Creio que não adianta querer que os pequenos comam bem se os pais não se propõem a dar o exemplo. Você e seu marido terão que entrar na linha, também.
2- Há muitas formas de preparar a comida.Aqui em casa acrescento legumes, ervas e hortaliças para dar sabor. Não é algo do tipo : Coma porque tem que comer! É parte da comida que comemos. Vou disponibilizar pra você e as outras leitoras que têm dificuldade em criar receitas coloridas duas ou três das minhas receitas cheias de cores e sabores. O melhor é que são rápidas.
3- Não forço muito a barra quando as crianças estão doentes e não aceitam a comida. Dou o que aceitarem, dentro das opcões que comemos em casa, e tenho o cuidado para que tomem sucos, comam frutas e água. 
4— Ninguém pode dizer que não gosta antes de provar, dos adultos aos pequenos. E eu não me dou por satisfeita até que eles provem um ingrediente de diversas formas. Respeito o que não gostam.  EX.: Sei que Benjamin não gosta  de mamão. Tentei de todos os tipos que conheço. Fiz sobremesas, sucos e saladas de fruta e nada. Sei que ele não é fã de banana, mas consome. Toma na vitamina com leite e cacau em pó e com os amigos com leite em pó .
5- Tente fazer pratos coloridos e seja firme, porém paciente! Nada de amolecer. Se é algo que nunca provou e não quer comer não ceda a dramas. Não elabore um cardápio só pra ela. Acrescente itens que ela goste, mas nada de ter uma cozinha particular. Comer é um ato em família, um momento para partilhar.
5- No caso de bebês , eles ainda estão se adaptando a comer. Nem sempre que eles rejeitam algo é porque não gostam. Vou dar um exemplo: as primeiras vezes que dei macarrão a Beatriz ela sempre cuspia. Até o dia que fomos à casa da vovó Judite e ela preparou um guisado para ela com carne, legumes e macarrão cabelo de anjo. Beatriz gostou demais. A textura do macarrão a incomodava, creio.
6-Nos dois primeiros anos, nada de bombons e afins. Eu posso ser boba ao pensar isso, mas quero que eles formem  primeiro o paladar comendo  coisas saudáveis. O resto poderão comer depois com moderação.
6- Com Benjamin e Beatriz eu aprendi a não jogar o jogo do seguro. Ou seja, se eles gostam de algo, não vou fazer todo dia para garantir que comam bem. Quando Beatriz rejeita o prato do dia, sei que ela comerá no resto do dia outros alimentos. Um exemplo: Ela come melhor quando há feijão, mas eu não cozinho feijão todo dia por isso. Ofereço outros alimentos que ela come e gosta, mesmo que não tao empolgada.
7- Sempre ofereço de novo, com o mesmo preparo e com preparo diferente. Minha observação de mãe me fez perceber que o paladar deles se modifica e algumas vezes eles já provam uma comida com a opinião preconcebida.
8- Acostume-se com a idéia que há, vez por outra, um dia ruim na alimentação dos pequenos, não é o fim do mundo! Nesse dia tenha paciência!


Veja aqui algumas opções de receitas  para cardápios coloridos que fazem sucesso por aqui.
1- Arroz com couve e pimentões, purê de batatas e bolinhos de carne  assados:


O legal dessa opção é que dá pra fazer bem rápido. 

Arroz: 
Ingredientes: 
 1 e1/2 Xícara de arroz parborizado, ou integral ou multigrãos.
1 folha grande de couve manteiga ou duas cortada em pedacinhos pequenos
1/2 pimentão amarelo cortado em cubos
1/2 pimentão vermelho cortado em cubos
1/4 pimentão verde cortado em cubos
2 dentes de alho pequenos amassados
meia cebola média cortada em cubos
Óleo vegetal para refogar ( o mínimo possível)
Caldo caseiro de vegetais ou 1 cubo de caldo com baixo teor de sódio e 0 gordura.
 Preparo:
Refogue a cebola e o alho no óleo.  Acrescente o arroz previamente lavado e o couve e refogue. Acrescente caldo caseiro ou agua suficiente para cobrir ( no caso do caldo industrializado, esfarele-o e acrescente). Acrescente os pimentões em cubo e espere o cozimento.


Bolinhos de carne moída coloridos e assados:

Ingredientes: 
500g de carne moída de sua preferência
1/2 cebola ralada 
1 cenoura pequena ralada
1/4 pimentão amarelo ralado ou cortado em cubinhos
1/4 pimentão vermelho ralado ou cortado em cubinhos
Folhas de espinafre (6 a 8) cortadas miudinhas
1/2 xícara de amido de milho
Orégano a gosto
Salsa desidratada a gosto
Alho desidratado a gosto
Sal a gosto

Preparo:
Unte um refratário e reserve. Pré-aqueça o forno a 180 graus. Misture os ingredientes, acrescentando, por último o amido de milho. Modele os bolinhos e ponha no refratário e no forno. Espere dourarem.

Dica: Você pode mudar os vegetais para dar novo sabor. Estes bolinhos podem ser servidos como lanche em tamanho menor ou podem acompanhar uma sopa. Coloque-os ainda quentinhos num creme de batata inglesa…hummm!!! Eles ficam melhor se consumidos assim que preparados.

Eu acompanhei os bolinhos e o arroz com um purê comum de batata inglesa para que o prato não ficasse tão seco e uma salada de alface americana, tomate e palmito.


2- Arroz à Jardineira com parmesão,  cubos de frango cremoso e salada primaveril


Arroz a jardineira com parmesão:

Ingredientes: 
1 Xícara e meia de arroz parborizado ou integral ou multigrãos
1/2 Cebola
2 dentes de alho amassados ou cortados em pedacinhos
1 cenoura pequena cortada em cubinhos 
1/2 abobrinha pequena cortada em cubinhos
1/2 xícara de ervilhas frescas ou congeladas (as enlatadas, se puder evite! São quase cinza e sem sabor)
1/2 pimentão amarelo
1/2 pimentão vermelho
1 pedaço de Chuchu
1/2 xícara de milho  verde fresco ou congelado
100 g de queijo parmesão ralado  (de médio para grosso)
Óleo vegetal para refogar q/n
Caldo caseiro de legumes ou caldo industrializado com baixo teor de sódio e 0 gordura .


Preparo: 
Refogue a cebola e o alho no óleo vegetal (o mínimo possível), acrescente a cenoura, a abobrinha e o chuchu e refogue junto com o arroz prelavado. Acrescente o  caldo caseiro de legumes  ou água morna (cubra o arroz) e o caldo industrializado e o pimentão amarelo e o vermelho. Quando a agua estiver perto de secar, acrescente o milho, a ervilha e o parmesão.

Frango cremoso
Ingredientes:
1 peito de frango grande em cubos previamente temperado com limão e sal
1 cebola ralada
1/4 pimentão vermelho
1 dente de alho amassado
1 lata de tomates pelados amassados com o garfo ou use molho de tomates
50 gramas de queijo parmesão ralado fino
1 lata ou caixinha de creme de leite 
1 colher de sobremesa de paprica doce
salsa desidratada ou cortada fininha a gosto
sal a gosto
250 mls de caldo caseiro ou um cubinho de caldo industrializado com baixo teor de gordura e sódio
Azeite para refogar e dourar o frango

Preparo:
Refogue a cebola e o alho e o pimentão , acrescente o frango (sem o excesso do suco do limão) para dourar. Acrescente a salsa desidratada e a páprica, logo depois os tomates e o caldo. Cozinhe em fogo médio ou baixo. Quando o frango estiver cozido acrescente o creme de leite e o parmesão. Baixe o fogo e não deixe que ferva (especialmente se não está usando creme de leite fresco). Ajuste o sal e desfrute.

Servi este franguinho e o arroz com uma salada primaveril (manga, acelga, cubos de peito de peru, maçã e croutons caseiros) e purê de batata inglesa. 
Benjamin ainda está se habituando a comer saladas ! Beatriz já rouba tomates, alface e pepino da minha salada e da horta do vovô Moisés. Espero que ela se alimente bem como o irmão quando crescer. Por enquanto, vamos indo bem.

Um abraço a todas as mamães de crianças pequenas e muita paciência derramada em nossos corações! E Amanda, querida, espero que você se inspire. Eu sugeriria os cardápios coloridos pra começar , depois acrescente sopas de legumes, vegetais e legumes refogados, etc. Há muitas opções! Existe, por exemplo, um molho mediterraneo de vegetais assados e tomates que é uma delicia para comer com macarrão. Depois posto a receita. Aproveite você para comer melhor! Se você põe um cardápio para as crianças e os adultos comem outro, a comida soa como um castigo, como falei anteriormente. Cozinhar exige cuidado, na maioria das vezes fogo baixo e temperinhos naturais que fazem a diferença! 
Eu sei que legumes e frutas estão caros, mas tenho feito uma hortinha no apartamento mesmo e no mercado sempre dou prioridade aos vegetais em promoção. Por exemplo, semana passada em alguns supermercados a batata inglesa custava quase 7 reais por aqui. Nós comemos purê de abobora e batata inglesa (em vez de só batata), de inhame e também de batata doce que eu ganho de uma horta orgânica. Eu sugeriria que você compre em pequena quantidade aquilo que está caro ou substitua mesmo.  Pesquise e crie seus cardápios coloridos. Mesmo quando estiver apressada…um sanduíche, por exemplo,  pode ganhar uma rodela de tomate e orégano e ser acompanhado por uma porção de ovos mexidos ou uma saladinha rápida. Pesquise, aprenda e crie!

Sim meninas! Eu tenho uma pequena hortinha na varanda…agora estamos em tempo de mudinhas pequenas que plantei a pouco, mas tem sido de ajuda! Quem lembra que eu queria muito?Tomei coragem! Já vou na segunda levada… da primeira ainda tenho orégano, salva, manjericão basilisco  cebolinha, pimentão verde doce e alecrim.  Minha salsinha e meu tomateiro não resistiram ao calor. Aconselho-as a fazerem o mesmo, especialmente as que têm quintal. Depois posto fotos!


Um comentário: