Páginas

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

A última de Benjamin


   Hoje estava com Benjamin na sala. Ele trabalhando em sua torre e eu      lendo um livro. Ele chegou:

   - Mamãe, eu sou teu filho e tu me ama?
   - Claro, meu amor.
   - Você diz obrigado a Jesus porque tu tem mim?

    Diz ele em seu português ainda falho de garotinho de três anos.

- Sim, meu lindo.
- Obrigado mãe! Eu também gosto de tu ser minha mamãe linda.

Ele voltou a brincar... Eu ainda estou secando a baba...
Quem nunca teve esse momento com os filhos?

E o povo ainda acha que minha realização devia ser outra...
A maternidade não é só essas coisas belas, mas também é isso!













Imagens: Primeira- Foto de família registrada por Pedro Henrique
                                                                         Segunda- Foto de família registrada por Adna S.  
                                                                         Barbosa

5 comentários:

  1. Paz do Senhor, Ir, Ana Cláudia!
    Conheci seu blog hoje e fiquei encantada.
    Sou recém casada, logo não tenho filhos, mas quando os tiver, espero saber também cuidar nos padrões de Deus!
    Parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi querida! Vou lhe dizer que nunca sabemos totalmente! A gente vai pedindo graça a Deus em nossos erros e acertos. No entanto, quando você for mãe saberá que é uma experiência revolucionária! Tomara que sua hora chegue e obrigada pelas palavras generosas!!!

      Excluir
  2. Lindo, lindo. Com certeza, somos realizadas por estar em casa e poder viver estes momentos impagáveis. Louvado seja Deus, pois a mamãe está em casa. Bjos amo seus artigos!

    ResponderExcluir
  3. mais é muito fofo e meigo como a Mãe .. te amo prima **

    ResponderExcluir
  4. Ana, a Paz do Senhor!

    Seu "registro maternal" sobre mais um feito de Benjamin me trouxe à memória algo dito por Elias que "abalou" a estrutura do meu pai.
    Poucas semanas atrás, Josué foi pegar a minha irmã caçula com meu pai, Tobias e Elias.
    Durante o percusso, meu pai ficou afirmando que já viveu muito e que fez tudo que podia na vida... Só Jesus!
    Josué e os meninos ficaram escutando calados, respeitando este momento de nostalgia de painho (como o chamamos carinhosamente).
    Após toda a explanação, ele calou-se. Silêncio total!
    Então, para surpresa de todos, Elias levantou o dedinho e disse:
    Não vovô. Tem uma coisa que o senhor não fez ainda: aceitar a Jesus como Senhor e Salvador para morar no céu!
    Que Deus tremendo!
    Meu pai chegou em casa e chorou. Uma semana depois me confessou chorando que, desde deste dia, pensa em ir à igreja.
    São 23 anos de oração pela vida dele e da minha mãe e hoje estou vendo como Deus tem usado os meus filhos - os martelinhos do Senhor - para quebrantar o coração do meu pai.

    Grande abraço,

    Carla Pitanga

    ResponderExcluir