Páginas

sábado, 25 de janeiro de 2014

O que tem no prato hoje? Seguindo a seqüência…Estimulando o filho a comer

Este é um dilema pra quase todas nós, acredito.  Manter as crianças com uma boa alimentação e faze-las experimentar novos sabores. São muitas coisas a combinar e muitas coisas a dar conta:será que a quantidade que meu filho come é suficiente? Dou um lanche pra ele não ficar com fome? e la vai um sem fim de questionamentos. Acredite! Se você não é mãe, não sabe a alegria que é pra nós um prato vazio que foi oferecido cheio a um pequeno. No entanto, é sim possível cultivar bons hábitos alimentares.

Aqui vão algumas dicas sobre a alimentação dos pequenos, extraídas de diversas leituras:

1- Tenha várias opções de um mesmo grupo alimentar. Veja se seu filho aceita algum. Por exemplo, se seu filho não aceita feijão mulatinho, tente outras receitas com outras leguminosas: lentilha, grão de bico, feijão preto, verde, branco, etc. ou faça uma nova receita!!! Mas não desista fácil de um determinado tipo de alimento. Outra dica legal é servir o mesmo ingrediente de diversas formas. Vou dar um exemplo: seu filho pode não gostar de cenoura cozida, mas apreciar este legume cru temperado com vinagre e sal ou limão e sal, pode gostar dela refogada, em forma de purê, etc. A forma como temperamos e preparamos um ingrediente muda tudo! Veja algumas combinações de salada de legumes com maionese, por exemplo:
a) Batata inglesa cozida, com ovo cozido machucado no garfo e maionese
b)Batata inglesa cozida, com ovo cozido machucado no garfo, atum ou frango desfiado, azeitona verde e maionese
c) Batata inglesa cozida pimentão vermelho e pimentão amarelo em cubos cozidos porém firmes, ervilhas( prefira as congeladas às enlatadas), blanquet de peru em cubinhos e maionese
d) Cenoura, chuchu, batata inglesa e vagem cozidas  e maionese
e) Repolho cru com cenoura ralada e maionese
2- Fuja da monotonia! Seu cardápio pode ser simples, mas variado ao longo dos dias. Crie pratos coloridos!!!
3- Varie os temperos! Isso faz toda diferença.
4-Nunca desista dos legumes! Faça bolinhos assados, ponha na massa da panqueca, em tortas, sopas, omeletes, mas não desista!!!
5- Se seu filho aceitar um alimento não ofereça todo dia. Você poderá causar monotonia ou fixação. Se aquele alimento está garantido alterne com outros.
6- Não troque nunca almoço por lanche….os pequenos aprendem logo a barganhar e negociar. 
7- Verifique se seu filho não gosta do sabor dos alimentos ou se quer simplesmente comer outra coisa mais fácil.
8- Crie uma rotina de alimentação e um cardápio unificado. Inclua nas refeições alimentos que seu filho come, mas se ele está na idade de comer com a família, não faça um cardápio separado para ele. Isso só aumenta fixações em determinados alimentos. 
9- Leve seu filho pra cozinhar algo simples ou fazer suco com você, combinando que ele vai provar.
10- Controle sua ansiedade! Esteja no controle da situação.
11- Acerte a medida do leite: Não substitua o almoço por mamadeiras de leite. De acordo com a revista crescer de 7 meses a 2 anos recomendadas 3 a 4 porções de 120ml de leite e derivados; de 2 a 3 anos cinco porções de 120 ml e de 4 a 6 anos são quatro porções de 180 ml. Entre essas porções conte com os iogurtes, porções de queijo, leite fermentado, etc. Se seu filho não come, desistir e dar um mingau reforçado a cada 3 horas não vai resolver o problema. Ele pode, inclusive, ter problemas de saúde como acumulo de gordura no fígado. 
12- Saiba que essa batalha nunca se finaliza, pra todas nós há dias melhores e piores.
13- Identifique fases e problemas que refletem na alimentação (doença, problemas que a criança enfrenta, discordancia entre os pais, guloseimas em excesso, etc.). Se não houver nenhum problema e seu filho não quiser comer a nenhum custo, explique que ele só poderá comer naquela hora especifica (do lanche, por exemplo).

Bom! Paciência é tudo!!!

No próximo post falaremos sobre problemas que interferem na alimentação das crianças e algumas dicas para introduzir bebês no mundo colorido dos alimentos.

Fontes de consulta:
Guia descomplicado da alimentação infantil- Dr Mauro Fisberg e Priscila Maximino
Revista Crescer- Edição de Março de 2011

2 comentários:

  1. Minha bebê é muito ruim para comer, não gosta de nada.

    ResponderExcluir
  2. Oi João! Meu amigão, quanto tempo!!!! Me conta um pouco sobre a fofa. Quantos anos ela tem? Sempre foi assim ou parou de coner agora?

    ResponderExcluir